Prós e contras: especialistas dão dicas para comprar ar-condicionado

Consumidor pode optar por diversos modelos na hora da compra.
Saiba o mais adequado para cada tipo de ambiente.

Com as altas temperaturas em todo o Brasil, a procura por equipamentos de ar-condicionado cresce nas lojas de eletroeletrônicos. Para ajudar na escolha, o G1 consultou três especialistas, Alberto Luttenschlager, engenheiro e diretor da empresa especializada na instalação e manutenção de ar-condicionado Perfect Air; Januário Sobrinho, gerente técnico de instalação e serviços da empresa de instalação de ar condicionados Só Frio; e Bernardo Teixeira Vieira, projetista de climatização de ambientes, para mostrar quais são os aparelhos mais indicados para cada tipo de consumidor. Veja abaixo:

O ar-condicionado portátil é útil para aqueles que não podem fazer a instalação do aparelho em paredes (Foto: Rafael Miotto/G1)O ar-condicionado portátil é útil para aqueles
que não podem fazer a instalação do aparelho
em paredes (Foto: Rafael Miotto/G1)

PORTÁTIL
- Útil para: moradores de residências antigas, com cômodos pequenos, que não têm autorização para fazer a instalação externa dos aparelhos. A quantidade de água que será produzida pelo ar condicionado - e retirada periodicamente - depende da umidade do ar da cidade: em Brasília quase não deve have condensação de água por ser muito seco, já em uma cidade de praia deve haver quantidade mais significativa de água.
- Faixa de preço: R$ 1 mil a 2,5 mil;
- Vantagens: Móveis, podem colocados em qualquer local, de acordo com o desejo do usuário;
- Desvantagens: produzem mais ruído e ocupam espaço; também precisam que sua tubulação fique voltada a uma área externa quando ligados; se a ligação para a tubulação não for bem executada, a água do condensador (parte do aparelho que faz o processo de resfriamento do ar) pode vazar para dentro da sala; tem pouca procura.


Modelo split piso teto é o mais recomendado para grandes ambientes (Foto: Rafael Miotto/G1)Modelo split piso teto é o mais recomendado
para grandes ambientes (Foto: Rafael Miotto/G1)

SPLIT
- Útil para: grandes ambientes; bastante usado em salas de escritórios e em ambiente comercial. É o mais indicado pelos técnicos. Os modelos principais são: “cassete”, que é embutido no forro do cômodo, ficando escondido; “hi-wall”, em que o evaporador, parte onde sai o ar resfriado, é instalado na parede dentro da sala; "piso teto", em que o evaporador é posicionado no tetos; e o inverter, que tem o poder de resfriamento parecido com o “hi-wall”, mas economiza mais energia.
- Faixa de preço: R$ 800 a 8 mil
- Vantagens: é o mais usado; o índice de refrigeração dos aparelhos é maior e eles ocupam uma área interna menor que os outros aparelhos; a unidade condensadora fica no ambiente externo das casas ou apartamentos, o que ajuda a reduzir ruídos; o custo de instalação está entre os mais altos, por volta de 1/3 do preço do aparelho (mão de obra para quebra de parede, fixação e tubulação).
- Desvantagens: os modelos normais gastam mais energia; necessitam de um trabalho de instalação mais complexo – no caso dos splits do modelo "cassete", é necessário de uma grande área no forro do ambiente para instalá-lo, o que pode se tornar inviável em locais com o pé-direito baixo.


Ar-condicionado de parede é recomendado para cômodos pequenos (Foto: Reprodução/Globo News)Ar-condicionado de parede é recomendado para
cômodos pequenos (Foto: Reprodução
/Globo News)

DE PAREDE (ACJ)
- Útil para: cômodos pequenos
- Faixa de preço: R$ 500 a 2 mil
- Vantagens: são os mais baratos e de fácil instalação em salas que já têm o encaixe correto na parede;
- Desvantagens: não são esteticamente bonitos, ficando aparentes em fachadas de prédios; produzem ruído; são necessários muitos para que um ambiente grande seja resfriado; estão em desuso, sendo substituídos pelos modelos “split”.


CUIDADOS GERAIS
Instalação

Os técnicos recomendam que a instalação seja feita por um profissional, seja ele um eletricista ou um técnico em instalações, para que a garantia do fabricante seja mantida e nada ocorra de errado. É recomendado que cada aparelho possua um ponto de força individual, já que um condensador pode trabalhar para vários evaporadores. O consumidor tem que estar atento para não ligar o ar-condicionado em uma voltagem errada. A maioria dos ares-condicionados funcionam em 220v, com a exceção de alguns aparelhos de parede, que são 110v conforme a capacidade do aparelho.

Potência
O índice de refrigeração dos aparelhos é medido em BTU (British Thermal Unit), que significa Unidade Termal Britânica. Para residências, os especialistas indicam a utilização de potência que variam de 9 mil a 18 mil BTUs. Os menores são recomendados para quartos e salas de tamanho padrão, que não sejam muito grandes, não tenham muitos equipamentos eletrônicos nem muitas janelas. No entanto, não basta analisar o tamanho do cômodo para chegar à conclusão de qual valor será necessário. Além do tamanho do cômodo, é preciso ver se existem eletrônicos que geram calor, lâmpadas e alta área de insolação.

Manutenção
Segundo os técnicos, para prolongar a vida útil dos equipamentos de ar-condicionado, além manter seu funcionamento adequado, é necessário limpar filtros e fazer revisões, sempre seguindo as orientações do manual de fábrica. Também é importante ligar o aparelho sempre, não somente no verão, para mantê-lo em bom estado. Se for deixá-lo inoperante por algum tempo, o desligue no disjuntor.

Consumo de energia
Independente do tipo de aparelho, o consumo de energia é alto, podendo ser comparado ao de uma geladeira. Por conta disso, a recomendação é fazer uso consciente do equipamento, ligando apenas quando for necessário e quando o ambiente estiver realmente sendo usado.