Escrito por G1 São José do Rio Preto e Araçatuba   
DOM, 02 DE DEZEMBRO DE 2012 01:32

A partir do ano que vem, o noroeste paulista pode passar a ser reconhecido mundialmente por produzir energia elétrica 100% limpa. Itajobi (SP) será a primeira cidade do Estado, segunda do país, a ter uma usina solar.

A usina vai seguir modelos instalados na Europa. Alemanha, Itália, Espanha são países onde grande parte da energia elétrica é produzida a partir da luz solar. Placas recebem a radiação emitida pelo sol e transformam em energia elétrica e o material é feito no brasil.

O investimento vai ser de R$ 21 milhões e a prefeitura não precisou por a mão no bolso, pois o projeto é de uma empresa americana. O presidente da entidade, o indiano Chirinjeev Kathura esteve em Itajobi para assinar o documento que autoriza o início das obras. “Isso vai estimular a cidade a produzir empregos e vai ser a maior usinar solar do Brasil. Acho que o país tem potencial para fortalecer essa industria e fornecer energia a preço acessível”, comentou Kathura.

A usina vai ser construída em uma área de 30 mil metros quadrados. A prefeitura emprestou o espaço para a empresa pelos próximos 30 anos. As obras começam em janeiro e vão até setembro do ano que vem.

No início, a usina vai produzir 3 megawatts, suficientes para suprir a necessidade de iluminação pública do município, que tem 15 mil habitantes. O próximo passo vai ser expandir a geração às residências e beneficiar mais de 20 cidades da região.


Itajobi poderá ser beneficiada

Alta tecnologia, inovação, desenvolvimento sustentável e energia limpa poderão ser utilizados pelos moradores de Itajobi, através da Usina Solar Fotovoltaica.

Segundo informações da assessoria de comunicação da Prefeitura do município, a atual administração, com o objetivo de crescimento e o desenvolvimento da cidade, de forma sustentável, não tem evitado esforços para instalar uma usina solar.

Em parceria com empresas de renome no mercado de energias renováveis no Brasil e no exterior e investimento do setor privado, a Prefeitura está trabalhando para tornar esta proposta uma realidade em Itajobi, até o final deste ano.

“A instalação de uma usina solar fotovoltaica promove grandes vantagens e benefícios. Primeiramente, o município se torna gerador de uma energia limpa e sustentável, sem causar agressões ao meio ambiente. O mercado de energia solar, já consolidado em muitos países, ainda está no início no Brasil. À medida que este mercado vai se consolidando, novas tecnologias começam a ser desenvolvidas, novos empregos são gerados e surge a necessidade de mão-de-obra qualificada. Todos esses fatores acabam sendo positivos à cidade”, informou Fernanda Augusto, da New Generation Power.

Para entender o assunto e o funcionamento, segundo o setor, é importante saber que uma usina solar é uma forma de obtenção de energia ecológica, pois capta a luz do sol e a transforma em energia, sem causar danos ao meio ambiente. Assim, suas instalações se situam em regiões ensolaradas.

“Uma usina solar fotovoltaica é composta por painéis recobertos com células fotoelétricas, as quais transformam a luz solar em energia elétrica. A energia gerada pode ser injetada na rede de distribuição de modo a atender à crescente demanda de energia ou pode ser utilizada para consumo local”, afirmou Fernanda.

No Brasil, há apenas uma usina solar fotovoltaica localizada no Ceará, a qual pertence a uma das empresas do grupo do empresário Eike Batista.